02/01/2019

PORTUGAL – 1928 – 1929 – Ceres, com sobretaxa (15)


Encontram-se à venda na eBay o selo Ceres sobretaxado do 10C s/ 1C, castanho, em denteado 15 x 14. Numa observação atenta, pode-se verificar que a sobretaxa é falsa.

 
 

16/12/2018

TIMOR - 1947 Sobrecarga "LIBERTAÇÃO"

Recomeçou a emissão no mercado filatélico de selos das ex-colónias portuguesas (e não só) com sobrecargas/sobretaxas recentemente falsificadas.

Foram postos à venda estes selos de Timor de correio aéreo com sobrecarga "LIBERTAÇÃO" (Af. 15/23) de 1947:

 Screenshot da página de venda

O vendedor, dorminsky.coimbra, é já conhecido neste blog com outros nicknames.

Histórico do User ID

A sobrecarga de todos os selos é falsa e foi imprimida sobre selos originais recentemente comprados numa outra plataforma de venda online.

Selo original e selo com sobrecarga falsa

Confrontando a sobrecarga falsa com a genuína, o pormenor identificativo imediatamente evidente é a cedilha reduzida praticamente a um ponto.

 Sobrecarga falsa (à esquerda) confrontada com a genuína

01/05/2018

PORTUGAL – 1928 – 1929 – Ceres, com sobretaxa (14)


No próximo leilão 67º. do NFACP, vão à praça os lotes nº.801 e 802, constituídos respetivamente por um selo do 10C s/ ¼ sépia, denteado 12 x 11 ½ (sobretaxa dupla) e 10C s/ 1C, castanho, denteado 15 x 14, conforme se pode verificar:

 

Os selos em praça, não apresentam nenhuma chamada de atenção na sua descrição do lote e estão a ser vendidos como selos com sobretaxas autênticas.
Mas numa observação atenta verifica-se que as sobretaxas de ambos os selos são falsas.
Trata-se de uma falha grave.

01/04/2018

PORTUGAL - 1870-1876 - D.Luis I. Fita Direita


Estará em praça no 73º leilão da casa P.Dias, Ldª o seguinte lote...



O tipo II, em papel liso e denteado 12½, não é apenas mais raro que o tipo I. É, indubitavelmente, muitíssimo mais raro!
No âmbito de uma colecção especializada, a importância filatélica assim como, por inerência, o valor de mercado, são bem diferentes, fazendo prova da importância da identificação dos tipos/cunhos dos selos clássicos portugueses.
Estas e outras notas agregadas aos lotes, feitas por filatelistas profissionais experientes, são sempre bem vindas. 
Dispensáveis são as falsas informações: este par de selos é do tipo I.




02/11/2017

MOÇAMBIQUE e Admin. - selos com um lado não denteado

E' bastante frequente encontrar á venda selos como este:

(Ebay)

descrito neste caso como "Portug. Lourenço Marques - Sc#77 ERROR - Imperforated on left side";

ou este outro


(leilão Pdias)

descrito como "selo mais largo com omissão do denteado vertical direito"

O selo é de facto mais largo devido à deslocação de alguns mm do perfurador de pente provocando um "mega" dente de um lado. Uma vez aparado o denteado de um dos lados verticais, o selo se transforma num "não denteado" à esquerda ou direita.

Em vez de estragar os selos cortando-os seria melhor deixa-los intactos que a variedade resta igualmente interessante.


(leilão PDias)

28/09/2017

MACAU – 1913 – D. Carlos I – com sobrecarga local


No leilão 71º. da leiloeira PDias, a realizar em 21OUT17, vai à praça o lote 860, o qual é composto, segundo a descrição do mesmo, pela série completa da emissão de 1913 – Mouchon, com sobrecarga local. Estamos a falar de uma das séries mais raras de Macau.


Se não levarmos em consideração, para a composição da série completa, o selo de 10 avos, azul esverdeado, do qual só foram sobrecargados oficialmente 10 selos, a série é composta por 12 selos.

O lote a leilão é efetivamente composto por 12 selos.



Mas se observarmos com atenção as sobrecargas dos selos que compõem o lote, salta à vista que dois dos selos não apresentam a sobrecarga local, mas sim a sobrecarga da Casa da Moeda de Lisboa.

São eles o 13 (violeta cinzento) e 18 avos.

Para aqueles que têm mais dificuldade em diferenciar as duas sobrecargas, observe-se a sobrecarga do selo de 16 avos com as dos selos de 13 e 18 avos, todos desse lote:


Observa-se que a sobrecarga local é mais fina que a da Casa da Moeda e, principalmente, chama à atenção as letras R, P e A, que na sobrecarga local são mais estreitos e diferentes. Há igualmente diferença no comprimento da sobrecarga: a sobrecarga local, bem batida e incluindo serifas, mede sensivelmente 23,5 mm, a da Casa da Moeda mede sensivelmente 25 mm. As sobrecargas locais aparecem, por vezes, com as letras partidas ou deformadas, fruto da utilização de carateres tipográficos deteriorados.
É provável que quem compre esta série não seja conhecedor das caraterísticas destas sobrecargas e compre acreditando no leiloeiro.
É certo que aqueles selos não são dos mais raros da série, mas a série está incompleta, o que provocará danos ao comprador e, pelas regras do leilão, não poderá reclamar, por o lote ser constituído por 3 ou mais selos.