14/10/2016

PORTUGAL - 1853 - D. Maria II


Na leiloeira Antonio M. Torres, encontra-se disponível em venda directa e a preço fixo a seguinte cópia…


Este exemplar já se encontra há bastante tempo no escaparate desta conhecida Casa, devido, em nossa opinião, ao preço exorbitante - por valores até os US$ 500, estamos certos que já teria sido transaccionado há muito tempo.
Na realidade, estamos em presença de um falso filatélico: o selo é uma reimpressão de 1863 "obliterado" com um carimbo falso.

Sendo o papel das reimpressões de 1863 muito semelhante ao utilizado nos originais, a reimpressão da taxa de 50 réis é detectável por detalhes no quadro: duas pequenas fendas e ligeiro empastamento no lado esquerdo.


Quanto ao primeiro carimbo de barras n° 30 da primeira Reforma Postal, atribuído a Montemor-o-Novo, coloca-se um selo com a marca genuína.


Apesar da similitude, após atenta observação constatamos que são bem diferentes:
1. A genuína tem 20 barras (6:8:6), i.e., 6 barras contínuas na parte superior, 8 barras interrompidas e 6 barras contínuas na parte inferior; a falsa tem apenas 19 barras (6:8:5);
2. Na falsa, o algarismo zero é mais delgado e com ligeira inclinação à esquerda, e é notória a divergente inclinação do remate da bandeira do algarismo três. 


Nota: Está referenciado uma única marca com o numérico 30 proveniente do primeiro grupo de carimbos de barras, denominado de 20 barras


Encontramos esta falsa obliteração em reimpressões de 1863, 1885 e 1905 nas taxas de 5, 50 e 100 réis da emissão de D. Maria II, com razão, não sem motivo…
Da mesma origem, eis mais uma imagem com duas cópias reimpressas em 1863 com este carimbo para reconfirmar a falsificação.





Sem comentários:

Publicar um comentário